)

a crise foi pior em portugal
do que na europa?

family logo

Portugal continua a ser um dos países com maior desigualdade na União Europeia. Entre 2009 e 2013, as desigualdades aumentaram em 19 dos 28 Estados-membros e Portugal não ficou de fora. Entre os países que estiveram sob programas de ajustamento, apenas a Irlanda não aumentou a desigualdade e Portugal passou a estar ao nível da Grécia.

DESIGUALDADE NA UNIÃO EUROPEIA

Coeficiente de Gini (2013)

Ver apenas países sob
programa de ajustamento

UE 28

30,9%

Zona Euro

31,0%

COMO SE MEDE A DESIGUALDADE?

A desigualdade na distribuição de rendimentos pode ser medida através do coeficiente de Gini. Quanto mais próximo de 0, menor é a desigualdade (ou seja, os rendimentos estão distribuídos de uma forma mais igual entre as pessoas). Quanto mais próximo de 100, maior é a desigualdade (ou seja, os rendimentos estão distribuídos de forma desigual).

?

Fonte: Rodrigues, C.F., Figueiras,R. e Junqueira,V.(2016). Desigualdade do Rendimento e Pobreza em Portugal: As Consequências Sociais do Programa de Ajustamento, FFMS.

Em que países aumentou ou diminuiu
a desigualdade de rendimentos? 

Evolução do coeficiente de Gini nos países da União Europeia entre 2009 e 2013

Fonte: Rodrigues, C.F., Figueiras,R. e Junqueira,V.(2016). Desigualdade do Rendimento e Pobreza em Portugal: As Consequências Sociais do Programa de Ajustamento, FFMS.

Nota: Informação baseada nos microdados do EU-SILC 2010 e 2014.

DESIGUALDADE AUMENTA
NA MAIORIA DOS PAÍSES DA UE

Portugal teve um agravamento acima da média europeia

Carlos Farinha Rodrigues
Professor do ISEG

Autor do Estudo Desigualdade do Rendimento
e da Pobreza em Portugal

Nos últimos anos, a crise económica e financeira não foi um exclusivo português. Por isso, é importante enquadrar os seus efeitos na economia e na sociedade portuguesa à luz do que aconteceu noutros países. O impacto da crise é pior para os gregos do que para os portugueses? A Irlanda lidou com os custos da crise de forma mais eficaz do que Portugal? É ou não a nossa crise pior do que a dos outros países?

As dificuldades económicas eram comuns a alguns países da União Europeia, com maior ou menor intensidade, e sabia-se que o fenómeno não atingia apenas Portugal. Entre 2009 e 2013, houve 19 países da UE onde a desigualdade aumentou, ou seja, onde aumentou o fosso entre ricos e pobres e onde dos rendimentos ficaram pior distribuídos. Portugal foi um desses países, assim como Espanha, Itália, Alemanha ou Suécia. De fora desse agravamento ficam apenas nove Estados-membros – os únicos onde as desigualdades diminuíram, apesar da crise – entre os quais está o Reino Unido, Bélgica e França.

Portugal fica acima da média europeia em termos de agravamento nestes anos. E continuamos a ser um dos países mais desiguais da UE – entre os 28 países, Portugal ocupa a 9.ª posição com maior nível de desigualdade.

Grécia e Espanha são dois dos países que ficam à frente de Portugal, ainda com maior desigualdade, segundo o coeficiente de Gini (indicador que mede a desigualdade na distribuição de rendimentos) relativo a 2013. No extremo mais negativo, onde o fosso entre ricos e pobres é maior, está a Letónia e a Estónia, enquanto a Eslováquia e a República Checa ocuparam as melhores posições.

Se nos focarmos apenas nos países que estiveram sob processos de ajustamento – como foi o caso da Grécia, Irlanda e Espanha, para além de Portugal – então conclui-se que apesar de a evolução da desigualdade entre os gregos ter sido mais profunda do que a que se registou entre os portugueses, ambos os países ficaram com níveis idênticos de desigualdade.

Ler mais

EVOLUÇÃO DA DESIGUALDADE
NOS PAÍSES SOB AJUSTAMENTO

Evolução do coeficiente de Gini entre 2009 e 2013

O gráfico mostra como é que as desigualdades na distribuição de rendimentos foram mudando entre 2009 e 2014 em cada um dos países sujeitos a programas de ajustamento.

- DESIGUAL

+ DESIGUAL

  • Portugal
  • Irlanda
  • Espanha
  • Grécia
  • UE 28

Fonte: Rodrigues, C.F., Figueiras,R. e Junqueira,V.(2016). Desigualdade do Rendimento e Pobreza em Portugal: As Consequências Sociais do Programa de Ajustamento, FFMS.

Nota: Informação baseada nos microdados do EU-SILC 2010 e 2014.

MAIS RICOS MAIS LONGE DOS MAIS POBRES

Os 5% mais ricos recebem 19 vezes mais do que os 5% mais pobres

Para trás de 2009 e desde o início do século ficou um tempo em que se assistiu a um decréscimo gradual da desigualdade em Portugal. Isso significa que a distribuição de rendimentos estava a ser feita de uma forma mais equilibrada. Entre 2009 e 2013, porém, o coeficiente de Gini interrompeu a tendência de descida que se verificava desde 2004, e praticamente estabilizou. Houve apenas uma descida pequena, em 2012, rapidamente invertida em 2013. Segundo os dados mais recentes, que no caso português já estão disponíveis para 2014, neste ano o coeficiente voltou a ter uma pequena descida, ficando ainda assim acima do valor registado em 2009 (34% contra 33,7%).

Mas há outra forma mais pormenorizada de olhar para a desigualdade, prestando atenção aos extremos, ou seja, saber o que separa os 5% de portugueses mais pobres dos 5% de portugueses mais ricos. Isso é possível através do chamado rácio S05/S95.

E o que os dados mostram é que, em 2009, os 5% mais pobres recebiam 15 vezes menos do que os 5% mais ricos. Em 2014, essa diferença tinha subido: os mais pobres recebiam 19 vezes menos do que o grupo dos mais ricos.

"O presente agravamento parece alicerçar-se na forte degradação das condições de vida e de rendimento dos indivíduos e das famílias mais pobres", explica o estudo. E acrescenta outra explicação sublinhando que, se o rendimento dos mais ricos não aumentou neste período (porque também eles foram afetados pela perda de rendimentos), então este agravamento da desigualdade "é, pois, indissociável da forte contração dos rendimentos mais baixos."

Ler mais

EVOLUÇÃO DA DESIGUALDADE
EM PORTUGAL

O gráfico mostra a evolução entre 2006 e 2014 de três indicadores que medem a distância do rendimento equivalente entre os mais pobres e os mais ricos.

  • Atkinson 0.5
  • Atkinson 1.0
  • Atkinson 2.0

Fonte: Rodrigues, C.F., Figueiras,R. e Junqueira,V.(2016). Desigualdade do Rendimento e Pobreza em Portugal: As Consequências Sociais do Programa de Ajustamento, FFMS.

Nota: Informação baseada nos microdados do EU-SILC 2010 e 2014.

Portugal

coins

25 120 €

PIB (NOMINAL)
PER CAPITA

coins

10,3 milhões

HABITANTES

coins

12,4 %

TAXA DE DESEMPREGO

Dinamarca

coins

41 680 €

PIB (NOMINAL)
PER CAPITA

coins

5,6 Milhões (2013)

HABITANTES

coins

6,2 %

TAXA DE DESEMPREGO

  • O que é ser pobre?

  • Há mais apoios em portugal ou na dinamarca?

  • Quais sao as despesas das famílias?

  • A pobreza aumentou?

  • Limiar da pobreza

    (EM EUROS, EM 2015, SEM PARIDADES DE PODER DE COMPRA)

    422

    Portugal

    1418

    Dinamarca

    Fonte: Pordata

  • População que não consegue assegurar, duas vezes por semana, uma refeição com carne, peixe ou equivalente vegetariano em 2014 (%)

    4

    Portugal

    1,7

    Dinamarca

    Fonte: Pordata

  • Risco de pobreza de um agregado com um adulto e pelo menos uma criança em 2014 (%)

    38,4

    Portugal

    13

    Dinamarca

    Fonte: Pordata

  • Risco de pobreza de um agregado com dois adultos e três ou mais crianças em 2014 (%)

    38,4

    Portugal

    12,4

    Dinamarca

    Fonte: Pordata

  • Risco de pobreza de um agregado com dois adultos e duas criança em 2014 (%)

    18

    Portugal

    4,2

    Dinamarca

    Fonte: Pordata

  • Despesa com proteção social em % do PIB em 2014

    25,2%

    Portugal

    30,1%

    Dinamarca

    Fonte: OCDE

  • Jovens que não estudam nem trabalham - NEET (2012)

    15,3%

    Portugal

    5,8%

    Dinamarca

    Fonte: OCDE

  • Coeficiente de Gini (2015)

    34%

    Portugal

    27,4%

    Dinamarca

    Fonte: Eurostat

  • Rácio S80/S20 (2015)

    6

    Portugal

    4,1

    Dinamarca

    Fonte: Eurostat

  • Dados 2014

  • % de despesas com alimentação

    17,2

    Portugal

    11,4

    Dinamarca

    Fonte: Pordata

  • % de despesas com habitação, luz, água, gás e outros combustíveis

    19,3

    Portugal

    29,5

    Dinamarca

    Fonte: Pordata

  • % de despesas com saúde

    5,1

    Portugal

    2,9

    Dinamarca

    Fonte: Pordata

  • % de despesas com transportes

    12,2

    Portugal

    11,4

    Dinamarca

    Fonte: Pordata

  • % de despesas com lazer e cultura

    6

    Portugal

    10,8

    Dinamarca

    Fonte: Pordata

  • % de despesas com restaurantes

    11

    Portugal

    5,9

    Dinamarca

    Fonte: Pordata

  • % de despesas com educação

    1,3

    Portugal

    0,8

    Dinamarca

    Fonte: Pordata

  • Taxa de risco de pobreza em 2009 (%)

    17,9

    Portugal

    13,3

    Dinamarca

    Fonte: Eurostat

  • Taxa de risco de pobreza em 2013 (%)

    19,5

    Portugal

    12,1

    Dinamarca

    Fonte: Eurostat

  • Intensidade da pobreza em 2009 (%)

    22,7

    Portugal

    21,6

    Dinamarca

    Fonte: Eurostat

  • Intensidade da pobreza em 2013 (%)

    30,3

    Portugal

    18,5

    Dinamarca

    Fonte: Eurostat